Um dos principais sinais de que pode haver algum problema na parede esofágica é a dificuldade de engolir, chamada disfagia. Esse sintoma  pode ser sinal de alguma enfermidade nesse local, como acalasia, esofagite e até mesmo sintoma de câncer no esôfago.

Com uma incidência maior em homens, normalmente com idade entre 50 e 70 anos. O câncer de esôfago é uma doença maligna que se inicia na camada interna do órgão, a mucosa. Os dois tipos mais frequentes são: o carcinoma epidermoide, representando a maior parte dos casos no Brasil, e o adenocarcinoma.

Para entender melhor sobre o tema, preparamos um material listando os principais sintomas de câncer no esôfago e como é feito o diagnóstico.

Quais são os sintomas de câncer no esôfago?

Os sintomas de câncer no esôfago inicialmente podem ser inespecíficos, por isso é importante não ignorar nenhum sinal que possa surgir. Conforme a doença vai progredindo, podem surgir sintomas mais característicos, como perda de peso sem motivos aparentes e dificuldade e dor ao engolir a comida. 

A disfagia costuma ser progressiva, primeiro para alimentos sólidos, depois para pastosos até que fica difícil ingerir líquidos, inclusive água.

Outros sintomas que podem ser considerados em relação ao câncer no esôfago são:

  • Dor e dificuldade na hora de se alimentar;
  • Dor retroesternal e torácica;
  • Perda de peso e de apetite;
  • Desconforto digestivo;
  • Arrotos;
  • Rouquidão;
  • Falta de ar;
  • Tosse;
  • Náuseas e vômitos.

Como é feito o diagnóstico?

Estar de olho nos sintomas de câncer no esôfago não basta. É preciso consultar um médico especialista o quanto antes para que ele determine do que se tratam os sinais. A doença, quando descoberta em estágio inicial, pode ter os riscos reduzidos, apresentando maiores chances de cura. 

O diagnóstico é feito por meio de um exame de endoscopia digestiva, que se trata de um procedimento que examina o interior do esôfago e também do estômago. Durante o procedimento, caso haja alguma lesão, é realizada uma biópsia para confirmar o diagnóstico.

Além da endoscopia digestiva, em alguns casos, pode haver necessidade de realizar outros exames, como tomografia computadorizada, broncoscopia, ecoendoscopia e PET-TC

Os exames devem proporcionar uma melhor compreensão também dos estágios do câncer. Cada estágio tem tratamento e prognóstico específicos, portanto, é muito importante diagnosticar a doença o mais rápido possível.

Entender quais são os sintomas de câncer no esôfago é fundamental para que você fique atento aos sinais. No entanto, é fundamental que procure um médico para que ele solicite os exames adequados e, assim, diagnostique o quadro corretamente, o mais rápido possível.

Por isso, não deixe de buscar ajuda caso tenha qualquer dos sintomas citados anteriormente, principalmente, se for portador dos fatores de risco, como refluxo gastroesofágico, ingestão frequente de bebida alcoólica ou líquidos e alimentos muito quentes, além de tabagismo.

E então, conseguiu tirar as suas dúvidas sobre os sintomas e fatores de risco do câncer do esôfago? Para mais textos como esse, acompanhe a nossa Central Educativa

Abrir o chat
Podemos te ajudar?
Dra. Beatriz Azevedo
Olá, Podemos te ajudar?