A esteatose hepática é um distúrbio de saúde caracterizado pelo acúmulo de gordura no fígado, mais especificamente nos hepatócitos, as células desse órgão.

Também chamada de doença hepática gordurosa, essa condição vem se tornando cada vez mais frequente, chegando a atingir atualmente cerca de 30% da população.

Ao longo do tempo, o aumento de gordura no fígado pode gerar sérias complicações, evoluindo para quadros mais graves, como cirrose hepática e até mesmo câncer no fígado.

Neste artigo, explicamos com mais detalhes o que é esteatose hepática e como combatê-la. Entenda a seguir!

O que é esteatose hepática?

A esteatose hepática pode ser de dois tipos:

  • Alcoólica: quando a condição tem como causa o consumo excessivo de bebida alcoólica.
  • Não alcoólica: quando outras causas, que não a ingestão de álcool, estão relacionadas. No geral, essas causas estão relacionadas à alimentação e aos hábitos de vida.

Além do abuso de álcool, alguns fatores que podem levar à esteatose hepática são:

  • Diabetes;
  • Alta taxa de colesterol;
  • Aumento dos triglicérides;
  • Medicamentos, como corticoides;
  • Má alimentação;
  • Obesidade ou sobrepeso.

Vale mencionar que pessoas magras ou sem alterações de colesterol e glicemia podem desenvolver a esteatose hepática, mas pacientes obesos ou com sobrepeso têm maior risco.

Geralmente, a doença é silenciosa e o paciente pode viver por anos com a condição sem apresentar queixas. Porém, com o passar do tempo, o acúmulo de gordura passa a causar inflamação, que chamamos de esteato-hepatite. Há uma sigla para denominar essa condição em pacientes que não ingerem álcool – NASH (nonalcoholic steatohepatitis).

É nesse momento que os sintomas aparecem. Eles podem ser: 

  • Dor;
  • Fraqueza;
  • Cansaço;
  • Perda de apetite;
  • Aumento do fígado.

Em casos avançados, o fígado que sofreu danos pela inflamação durante longos períodos inicia um processo de fibrose que pode se tornar irreversível e passa a ser denominada cirrose hepática.  Os sintomas mais comuns nesses casos são:

  • Ascite (acúmulo de líquido no abdômen);
  • Confusão mental;
  • Hemorragias;
  • Icterícia.

Vale lembrar também que a cirrose hepática não tem outro tratamento, além de transplante hepático e está associada ao câncer do fígado.

Como combater a esteatose hepática?

Para combater a esteatose hepática, primeiro é preciso entender que o acúmulo de gordura acontece devido ao excesso de carboidratos na dieta.

No processo de digestão, os carboidratos são quebrados em moléculas de glicose, as quais são absorvidas pelo sangue e usadas como fonte de energia. Quando há glicose em excesso, ela é transformada em triglicerídeos, que são armazenados no fígado sob a forma de gordura.

Portanto, para eliminar a esteatose hepática, é preciso induzir o corpo a utilizar os estoques de triglicerídeos no fígado.

E, para isso, ainda não existem medicamentos comprovadamente eficazes. Mas isso não significa que a esteatose hepática não tenha cura. Ela é, sim, uma doença reversível.

Para prevenir a condição ou tratar um quadro já existente, o procedimento mais efetivo é a adoção de medidas de estilo de vida saudável, tais como:

  • Alimentação balanceada: deve-se reduzir a ingestão de carboidratos (açúcar, farinha, tubérculos, etc) evitar bebidas alcoólicas ou ingerir com moderação; consumir frutas, legumes, verduras, carnes e leguminosas.
  • Emagrecimento: perder peso é uma das principais recomendações, o que pode ser feito por meio de uma dieta saudável, atividades físicas e, se necessário, uso de medicação e/ou cirurgia bariátrica.
  • Atividade física: a prática regular de exercícios físicos é essencial para manter o peso saudável, conforme a altura e a idade do paciente, além de gerar o déficit calórico necessário para eliminar o acúmulo de gordura no fígado.

É importante lembrar que pacientes diabéticos devem ter um controle ainda mais estrito da glicemia para evitar esteatose. 

Agora que você viu o que é esteatose hepática e entendeu que ela é uma doença séria, que pode gerar graves complicações se não controlada, lembre-se de que o fígado é um órgão fundamental para o bom funcionamento do nosso corpo, contando com centenas de funções essenciais.

Portanto, não deixe de cuidar da saúde do seu fígado. E, para mais informações, acesse a nossa Central Educativa!

Dra. Beatriz Azevedo

Autor Dra. Beatriz Azevedo

Mais posts por Dra. Beatriz Azevedo

Deixar uma Mensagem de Resposta

Abrir o chat
Podemos te ajudar?
Dra. Beatriz Azevedo
Olá, Podemos te ajudar?